NOTÍCIAS
compartilhar este link
Briga de Titãs

28/11/2016 15:17:21
Taeq lança Cajuína Orgânica

17/11/2016 15:22:32
Morre Toninho Pratinha

21/10/2016 16:50:20
O futuro da Hanjin à deriva

04/10/2016 14:24:25
Ameaça de embargo

22/08/2016 14:58:11
Cuidados no pomar

04/08/2016 13:03:39
Sufresh FLIP chega ao mercado

20/07/2015 12:58:49
O suco que bate um bolão

16/03/2015 18:03:36
Consumo em queda

04/03/2015 09:06:51
O supersuco da Purity Organic

02/12/2014 15:27:46
Zone 8 lança chás premium

28/11/2014 17:29:15
Alta interrompida

25/11/2014 18:50:14
Suco volta a subir na Bolsa

21/10/2014 19:19:55
Edeka veta transgênicos

15/09/2014 07:37:58
Uma salada para beber

12/09/2014 13:02:00
O novo suco da Mello

09/09/2014 12:51:19
Suco volta a cair

08/09/2014 12:50:22
Suco volta a fechar em baixa

02/09/2014 12:47:06
Demanda enfraquece cotações

28/08/2014 12:37:42
A nova onda da Campbell

28/08/2014 12:36:27
O super suco da Juxx

28/08/2014 12:34:27
Vita Coco quer reinar na China

25/08/2014 12:29:49
O suco das Arábia

20/08/2014 12:28:16
Safra farta no Marrocos

18/08/2014 12:27:09
A laranja gigante

14/08/2014 12:21:44
Suco volta a subir na Bolsa

14/08/2014 12:21:44
Produção estável no Sul

06/08/2014 12:15:39
Mercado em baixa

05/08/2014 12:15:39
Laranja menor, lucros maiores

30/07/2014 11:56:33
Tempestade na demanda

29/07/2014 11:56:33
Suco estável

28/07/2014 11:56:33
Sem tempestade no radar

24/07/2014 11:56:33
Medo do furacão

22/07/2014 11:56:33
Em busca de direções

17/07/2014 12:16:24
Suco recua em NY

10/07/2014 11:49:32
Clima de alta

03/07/2014 11:44:03
Tempestades vem, suco sobe

02/07/2014 11:44:03
Queda mantida

30/06/2014 11:42:27
Queda se mantém

26/06/2014 11:19:54
Em busca de novas plantas

24/06/2014 11:19:54
A ciência gordurosa

24/06/2014 11:19:54
A próxima revolução verde

23/06/2014 11:19:54
O novo Captain Citrus

18/06/2014 10:54:40
Laranja para curtir

28/05/2014 10:45:00
Uma visão global do mercado de citros

FoodNews - 29/04/2019 - Acompanhe o que está acontecendo no setor no Brasil, Espanha, Polônia, Reino Unido e Tailândia


Tailândia: Exportações de suco de abacaxi atingem o menor patamar em três anos

A Tailândia exportou 7000 toneladas de suco de abacaxi concentrado (PJC) em fevereiro deste ano, o menor volume exportado desde 2015. No mesmo período do ano passado, as exportações somaram 11.500 toneladas.

Segundo levantamento do FoodNews, em 2018, o país exportou mais suco que em 2017, e vem melhorando neste ano, mas os negócios ainda são fracos devido a preços muito baixos, demanda fraca, acirrada concorrência com a Costa Rica e estoques consideráveis na Europa. Tudo isso, segundo o semanal, faz as exportações subirem em um mês e caírem no mês seguinte.

De acordo com o FoodNews o preço do PJC está em torno de US$ 1200 por tonelada. Os Países Baixos foram os maiores importadores em fevereiro (1560 toneladas), seguido pelos Estados Unidos (1460 toneladas).

Polônia: queda nas exportações não reduz excedente de maçã

Apesar da enorme safra de maçã registrada na safra passada, a Polônia exportou apenas 172,2 mil toneladas de maçãs frescas nos primeiros dois meses deste ano. No mesmo período do ano passado, as exportações somavam 234 mil toneladas. 

Os embargos russos (Bielorrúsia) também estão impactando os números: nos dois primeiros meses do ano passado, a Bielorrúsia consumiu 76 mil toneladas de frutas polonesas, mas esse volume foi de 46,7 mil toneladas neste ano. 

O cenário é um pouco melhor quando os dados são analisados por safra (setembro a agosto): na primeira metade da safra, as exportações de produtos frescos poloneses são realmente mais altas, 452.5 mil toneladas. Na safra passada, foram 436,2 mil toneladas, mas de acordo com o FoodNews, essa melhora será ajustada nos próximos meses.

Na safra 2017/2018, a Polônia colheu 2,9 milhões de toneladas de frutas. A previsão para a atual safra é de 4,5 milhões de toneladas a 5 milhões de toneladas.

Até o momento, o Egito importou 41.580 toneladas de maçãs entre janeiro e fevereiro (6.690 no ano passado); Cazaquistão levou 16.575 toneladas (14.900 na safra passada) e a Índia importou 7.540 toneladas ante as 1530 toneladas na safra anterior. Segundo o IEG Vu, a expectativa era de que a Polônia pudesse exportar frutas para a China ou outros países do Extremo Oriente para compensar o déficit da colheita na China, mas isso não ocorreu. A produção chinesa foi reduzida em cerca de 12 a 13 milhões de toneladas na última safra. 

Brasil: Preços do limão tahiti brasileiro em alta

De acordo com um levantamento do Cepea, o preço do limão tahiti registrado na semana do dia 15 de abril atingiu o maior patamar do primeiro trimestre de 2019.

Entre os dias 1 e 15 de abril, as cotações tiveram uma média de R$ 6,06 por caixa, um aumento de 63,6% em relação à primeira quinzena de março.

Os produtores de limão estão, agora, acelerando a colheita do limão para preparar os pomares para a produção no segundo semestre. Segundo os compradores, já está difícil encontrar limões tahiti de alta qualidade no mercado de produtos frescos.

Espanha: programa de intervenção está terminando

O Programa de intervenção do Ministério da Agricultura, Pesca e Alimentação (MAPA) da Espanha (cota de 50.000 toneladas de laranja para processamento de suco para ajustar o mercado) termina em 30 de abril.

Até 21 de abril, 23.669 toneladas de frutas cítricas (11.887 toneladas de laranja e 11.782 toneladas de tangerinas), o que representa 47% do programa, foram destinadas para o programa.

O Fundo Espanhol de Garantia Agrícola (FEGA), responsável pela retirada das frutas, tem um orçamento de compras de 12,5 milhões de euros (US$ 14). O OPFH assumiu o maior volume de laranja (7.809 toneladas), seguido pela Comunitat Valenciana (2.682 toneladas), Aragón (650 toneladas), Cataluña (523 toneladas) e Región de Murcia (222 toneladas). A maior absorção de frutas cítricas foi registrada na Comunitat Valenciana (6.985 toneladas), seguida pela Andaluzia (1.862 toneladas), Murcia (1.149 toneladas) e Catalunha (782 toneladas).

Reino Unido: Indústria inglesa aposta em embalagens recicladas

As indústrias de bebida e alimentos do Reino Unido anunciaram que passarão a utilizar embalagens feitas com plástico 50% produzidos com produtos reciclados (PCRW). Até o final de 2019, todas as indústrias do Reino Unido (marcas próprias) deverão ser embaladas com material reciclado nestas proporções.

A indústria de bebidas está aumentando seus esforços para reduzir o uso de plásticos. Os resíduos de polietileno serão coletados em supermercados, lavados, triturados e transformados em esferas para extrusão em novas embalagens. A ideia, de acordo com informações do IEG Vu, é retirar dos aterros sanitários até 1 mil toneladas de plástico.