NOTÍCIAS
compartilhar este link
Briga de Titãs

28/11/2016 15:17:21
Taeq lança Cajuína Orgânica

17/11/2016 15:22:32
Morre Toninho Pratinha

21/10/2016 16:50:20
O futuro da Hanjin à deriva

04/10/2016 14:24:25
Ameaça de embargo

22/08/2016 14:58:11
Cuidados no pomar

04/08/2016 13:03:39
Sufresh FLIP chega ao mercado

20/07/2015 12:58:49
O suco que bate um bolão

16/03/2015 18:03:36
Consumo em queda

04/03/2015 09:06:51
O supersuco da Purity Organic

02/12/2014 15:27:46
Zone 8 lança chás premium

28/11/2014 17:29:15
Alta interrompida

25/11/2014 18:50:14
Suco volta a subir na Bolsa

21/10/2014 19:19:55
Edeka veta transgênicos

15/09/2014 07:37:58
Uma salada para beber

12/09/2014 13:02:00
O novo suco da Mello

09/09/2014 12:51:19
Suco volta a cair

08/09/2014 12:50:22
Suco volta a fechar em baixa

02/09/2014 12:47:06
Demanda enfraquece cotações

28/08/2014 12:37:42
A nova onda da Campbell

28/08/2014 12:36:27
O super suco da Juxx

28/08/2014 12:34:27
Vita Coco quer reinar na China

25/08/2014 12:29:49
O suco das Arábia

20/08/2014 12:28:16
Safra farta no Marrocos

18/08/2014 12:27:09
A laranja gigante

14/08/2014 12:21:44
Suco volta a subir na Bolsa

14/08/2014 12:21:44
Produção estável no Sul

06/08/2014 12:15:39
Mercado em baixa

05/08/2014 12:15:39
Laranja menor, lucros maiores

30/07/2014 11:56:33
Tempestade na demanda

29/07/2014 11:56:33
Suco estável

28/07/2014 11:56:33
Sem tempestade no radar

24/07/2014 11:56:33
Medo do furacão

22/07/2014 11:56:33
Em busca de direções

17/07/2014 12:16:24
Suco recua em NY

10/07/2014 11:49:32
Clima de alta

03/07/2014 11:44:03
Tempestades vem, suco sobe

02/07/2014 11:44:03
Queda mantida

30/06/2014 11:42:27
Queda se mantém

26/06/2014 11:19:54
Em busca de novas plantas

24/06/2014 11:19:54
A ciência gordurosa

24/06/2014 11:19:54
A próxima revolução verde

23/06/2014 11:19:54
O novo Captain Citrus

18/06/2014 10:54:40
Laranja para curtir

28/05/2014 10:45:00
Coca diz que 2015 será um ano desafiador

Exame.com - 23/02/2015 - Busca por bebidas mais saudáveis e câmbio fraco são alguns dos desafios visualizados pela companhia

Para a Coca-Cola, 2015 será um ano desafiador, afirmou a diretora financeira Kathy Waller ao Wall Street Journal, logo após a divulgação dos resultados de 2014.

Busca por bebidas mais saudáveis e câmbio fraco são alguns dos desafios enfrentados pela gigante americana.
O lucro da empresa de bebidas caiu 55% no quarto trimestre, para US$ 770 milhões no quarto trimestre de 2014, significativamente menor que o ganho de US$ 1,71 bilhão registrado em igual período do ano anterior.

O crescimento das vendas, em volume, também foi tímido, de apenas 1% no último trimestre ante um ano antes.
As previsões para 2015 tampouco são otimistas. “Continuaremos a ter um cenário macroeconômico desafiador. Não vemos uma melhora significativa”, disse Waller. Ela afirma que a companhia espera retorno do crescimento apenas em 2016.

Já o chairman e CEO afirmou, em conferência, que a empresa continua focada em crescimento. “Vemos o ano de 2015 como um ano de transição, já que os benefícios e resultados das medidas anunciadas levarão tempo para se materializar no cenário macroeconômico incerto e volátil”.

A queda na venda de bebidas gasosas, por uma conscientização maior sobre a saúde, prejudica diversas companhias, não apenas a Coca-Cola. No entanto, esse declínio é especialmente impactante para a Coca pois 60% de seu lucro vem da venda de refrigerantes.

Além disso, a bebida que é o carro-chefe da empresa está perdendo popularidade entre os jovens.
Martin Lindstrom, um consultor de marcas e marketing, afirmou ao New York Times que a idade média dos consumidores de Coca-Cola é de 56 anos. “Eles acham que se parecem como jovens quando bebem Coca, mas jovens estão se voltando para alternativas como energéticos”.

Red Bull e Monster, por exemplo, estão ganhando mais consumidores entre as gerações mais novas.
Outro motivo para a queda nos números de 2014 é o câmbio fraco. O balanço da empresa é apresentado em dólares, mas a grande parte dos ganhos vem de fora dos Estados Unidos.

No primeiro trimestre do ano, a companhia perdeu US$ 247 milhões por conta da mudança de câmbio na Venezuela, segundo a Forbes. Além disso, a Coca-Cola também precisou rever o valor de seus ativos e a parceria com uma empresa de envase no país latino-americano.

Soluções
Para enfrentar esses obstáculos, a fabricante dos sucos Minute Maid e da Sprite está cortando custos e redirecionando investimentos. 

Globalmente, irá cortar de 1.600 a 1.800 vagas administrativas, como parte de um plano para economizar US$ 3 bilhões. 

A reestruturação elimina processos burocráticos em escritórios de Hong Kong, Istambul, Londres, Cidade do México e Atlanta, segundo o Wall Street Journal.