NOTÍCIAS
DO CAMPO
compartilhar este link
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Starbucks apoia cafeicultores

25/06/2015 11:52:08
Texas terá ajuda contra HLB

02/06/2015 12:57:45
Lista PIC

21/05/2015
Mercado espanhol segue incerto

16/03/2015 17:09:59
Licopeno contra o frio

18/02/2015 17:31:55
Greening causa perdas na China

19/01/2015 17:37:42
Produção estável no Sul

06/08/2014 12:15:39
Em busca de novas plantas

24/06/2014 11:19:54
Cancro em debate

07/05/2014 11:41:00
Todos contra o Cancro

17/04/2014 11:07:00
De olho no cancro

11/04/2014 12:11:00
De portas abertas

05/03/2014 16:27:00
Reforço Espanhol

25/02/2014 17:35:00
Uma vespa contra o greening

13/02/2014 12:22:00
Os prejuízos do frio

11/02/2014 13:29:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Califórnia abaixo de zero

12/12/2013 16:14:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Novas soluções

19/11/2013 14:33:00
Em busca de salvação

17/10/2013 13:31:00
Molécula pode salvar pomares

15/10/2013 11:06:00
Para falar de doenças

10/10/2013 12:51:00
O DNA do grenning

03/10/2013 15:07:00
Em busca de aliados

01/10/2013 12:11:00
De olho no inseto

24/09/2013 10:36:00
Capacitação contra doenças

12/09/2013 11:04:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Greening avança em SP

02/08/2013 15:24:00
Produção em queda

11/07/2013 15:46:00
Formulário contra o greening

10/06/2013 15:47:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Menos laranja na Flórida

12/12/2012 15:06:00
Um PIC contra as pragas

25/04/2012 14:34:00
Menos laranja na Flórida

12/04/2012 16:53:00
Safra de laranja é reestimada em 384,87 milhões de caixas

Fundecitrus - Reestimativa traz informações sobre chuvas e tamanho e queda de frutos nos cinco setores do parque citrícola

A safra de laranja 2019/20 do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro é reestimada em 384,87 milhões de caixas, de acordo com atualização publicada em 11 de fevereiro pelo Fundecitrus. O valor é apenas 0,11% menor do que a reestimativa anterior, de dezembro de 2019, e 1,03% inferior à primeira estimativa, de maio de 2019. Da safra total, cerca de 26,85 milhões de caixas devem ser produzidas no Triângulo Mineiro. 

O coordenador da Pesquisa de Estimativa de Safra (PES) do Fundecitrus, Vinícius Trombin, explica que a leve redução da safra foi influenciada principalmente pela variação das chuvas nas regiões que compõem o cinturão citrícola. “Isso ocorreu devido ao volume de chuvas abaixo da média no acumulado desde o início da safra até janeiro de 2020 e também ao greening [pior doença da citricultura mundial], que prejudicaram o valor total”, diz. “Nesse momento, com 96% da safra já colhida, é possível verificar que nos locais onde choveu menos, o tamanho dos frutos ficou menor. Já nas regiões com altas incidências de greening, a queda de frutos foi maior, evidenciando a correlação entre a doença e a perda de produção”, avalia. 

Safra por setor: chuvas, tamanho do fruto e taxa de queda 
A terceira reestimativa da safra traz informações sobre a produção nos cinco setores do parque citrícola: Norte (regiões de Altinópolis, Bebedouro e Triângulo Mineiro), Noroeste (regiões de São José do Rio Preto e Votuporanga), Centro (regiões de Brotas, Matão e Duartina), Sul (regiões de Porto Ferreira e Limeira) e Sudoeste (regiões de Avaré e Itapetininga). 
Com exceção do Norte e Noroeste, todos os setores estão com acumulado negativo de chuvas (veja o gráfico abaixo), o que inibiu o crescimento das laranjas. Apesar do grande volume de chuvas neste início de fevereiro, no período de maio de 2019 a janeiro de 2020 choveu 836 milímetros na média entre as regiões, 14% abaixo da média histórica, de 975 milímetros, de acordo com dados da Somar Meteorologia. 


O peso médio das laranjas é de 155,5 gramas, o que torna necessário 262,3 frutos para compor uma caixa de 40,8 kg (número 0,88% menor do que a projeção inicial). No Sul e no Sudoeste, as laranjas ficaram menores do que a média, com 154,5 g e 150,6 g, respectivamente (veja no mapaabaixo). No Sudoeste estão as regiões de Avaré, Itapetininga e Limeira, que tiveram seus piores índices pluviométricos das últimas cinco safras. 
A taxa média de queda de frutos é mantida em 17,63%. O Sul e o Centro tiveram os maiores índices, 22,66% e 19,09%, respectivamente (veja no mapa abaixo), e as causas mais prováveis são a alta incidência de plantas com greening e a grande quantidade de árvores com elevada severidade da doença. De acordo com o levantamento de doenças feito pelo Fundecitrus em 2019, o índice de greening no Sul é de 36,96%, e no Centro, de 30,76%, sendo significativamente mais baixos nos demais setores. 


O engenheiro agrônomo do Fundecitrus Ivaldo Sala lembra que o manejo do greening dentro e fora das fazendas de citros é fundamental para conter a doença. “Os citricultores devem manter o controle rigoroso do inseto vetor do greening, o psilídeo, no interior das propriedades e também realizar o manejo externo, que consiste na substituição de plantas hospedeiras da doença [plantas de citros sem controle e murtas] ao redor de pomares comerciais por outras frutíferas e ornamentais para evitar a infecção de novas plantas”, orienta. 

Fechamento da safra 
O fechamento da safra de laranja 2019/20 será divulgado em 9 de abril. A PES é realizada pelo Fundecitrus com a cooperação da Markestrat, FEA-RP/USP e FCAV/Unesp. 

Para ler o relatório completo, clique AQUI