NOTÍCIAS
DO CAMPO
compartilhar este link
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Starbucks apoia cafeicultores

25/06/2015 11:52:08
Texas terá ajuda contra HLB

02/06/2015 12:57:45
Lista PIC

21/05/2015
Mercado espanhol segue incerto

16/03/2015 17:09:59
Licopeno contra o frio

18/02/2015 17:31:55
Greening causa perdas na China

19/01/2015 17:37:42
Produção estável no Sul

06/08/2014 12:15:39
Em busca de novas plantas

24/06/2014 11:19:54
Cancro em debate

07/05/2014 11:41:00
Todos contra o Cancro

17/04/2014 11:07:00
De olho no cancro

11/04/2014 12:11:00
De portas abertas

05/03/2014 16:27:00
Reforço Espanhol

25/02/2014 17:35:00
Uma vespa contra o greening

13/02/2014 12:22:00
Os prejuízos do frio

11/02/2014 13:29:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Califórnia abaixo de zero

12/12/2013 16:14:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Novas soluções

19/11/2013 14:33:00
Em busca de salvação

17/10/2013 13:31:00
Molécula pode salvar pomares

15/10/2013 11:06:00
Para falar de doenças

10/10/2013 12:51:00
O DNA do grenning

03/10/2013 15:07:00
Em busca de aliados

01/10/2013 12:11:00
De olho no inseto

24/09/2013 10:36:00
Capacitação contra doenças

12/09/2013 11:04:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Greening avança em SP

02/08/2013 15:24:00
Produção em queda

11/07/2013 15:46:00
Formulário contra o greening

10/06/2013 15:47:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Menos laranja na Flórida

12/12/2012 15:06:00
Um PIC contra as pragas

25/04/2012 14:34:00
Menos laranja na Flórida

12/04/2012 16:53:00
São Paulo erradica 5,7 milhões de plantas de citrus no primeiro semestre de 2014

Canal Rural - 07/08/14 - Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado recebeu 12,5 mil relatórios de greening e cancro cítrico

Durante o primeiro semestre de 2014 foram apresentados à Coordenadoria de Defesa Agropecuária de São Paulo 12.592 relatórios de greening e cancro cítrico. Deste total, 12.303 foram entregues dentro do prazo, até 15 de julho de 2014. Os citricultores informaram que foram inspecionadas 198,2 milhões de plantas cítricas.<br />Foram erradicadas 2,2 milhões de plantas com sintomas do Huanglongbing-greening, 60,5 mil com sintomas do cancro cítrico, 1,7 milhão por outras doenças e motivos e 1,8 milhão de plantas foram eliminadas pela mudança de atividade. O relatório também mostra que, no mesmo período, foi replantado 1,1 milhão de plantas cítricas.<br />– Mesmo não encontrando plantas com sintomas de greening e cancro cítrico, o citricultor deve preencher o relatório e enviá-lo. Se durante uma inspeção do órgão oficial de defesa agropecuária for detectada a ocorrência de cancro cítrico, serão colhidas amostras em plantas suspeitas e, se confirmadas como positivas, deverão ser eliminadas imediatamente, ficando a propriedade em quarentena por dois anos – explica o diretor do Centro de Defesa Sanitária Vegetal, Vicente Paulo Martello.<br />Os citricultores que deixaram de relatar as inspeções no semestre estão sendo notificados pela Defesa Agropecuária para que apresentem o relatório. Caso não entregue, o produtor pode receber multas que variam de 100 a 500 unidades fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps). O valor de cada unidade é de R$ 20,14. Se o produtor deixou a atividade, é preciso regularizar a situação, zerando o número de plantas no relatório.<br /><br />Greening<br /><br />Para o greening, ainda não existe tratamento curativo, nem variedade resistente. Quando contaminadas, as plantas novas não chegam a produzir e as plantas adultas tornam-se improdutivas dentro de dois a cinco anos. A única forma de controle da doença é através de inspeções constantes, associadas ao controle do vetor da doença que é o psílideo (Diaphorina citri), que devem ser realizadas pelo citricultor. Encontrando plantas com sintomas da doença, elas devem ser eliminadas o mais rápido possível para eliminar as fontes de inoculo.<br /><br />Cancro cítrico<br /><br />Em função da publicação da Resolução SAA-147, de 31-10-2013, o citricultor não é mais obrigado a erradicar as plantas no raio de 30 metros a partir da planta contaminada, mas ele precisa eliminar a planta contaminada e pulverizar com calda cúprica, na concentração de 0,1% de cobre metálico, as plantas de citrus num raio perifocal de, no mínimo, 30 metros da planta eliminada. A pulverização deve ser repetida a cada brotação e a ação informada no relatório semestral.