NOTÍCIAS
compartilhar este link
Marketing de US$ 5 milhões

07/07/2020 10:01:25
Tarifa abre disputa na Espanha

26/06/2020 10:10:33
Greening assusta Califórnia

11/02/2020 10:36:02
Bem vindo, suco de laranja

10/02/2020 10:54:48
Limão azedo na Argentina

29/01/2020 14:41:02
Notícias pelo mundo

13/12/2019 16:40:13
Notícias pelo mundo

06/12/2019 16:45:44
Notícias pelo mundo

29/11/2019 16:49:04
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
28/12/2020
Pesquisa identifica período de controle da Pinta Preta

Informações de variedade e idade do pomar contribuem no controle da doença

FUNDECITRUS - A quantidade de aplicações de fungicidas para o controle de pinta preta pode ser estabelecida de acordo com a variedade da laranja e a idade do pomar, medida que colabora para um manejo mais econômico e sustentável. Estas são as principais conclusões de um estudo realizado pelo Fundecitrus, que avaliou o número de aplicações de fungicidas e o período de controle da doença nas variedades de laranja Hamlin (precoce), Pera (meia-estação) e Valência (tardia) durante as safras 2016/2017 e 2018/2019.

O experimento foi realizado em 12 pomares de sete a 24 anos de idade, em fazendas localizadas nas regiões de Matão e Casa Branca. As plantas receberam de uma a sete aplicações, que representaram, respectivamente, períodos de controle médios de 30, 60, 100, 140, 180, 220 e 260 dias.

As duas primeiras aplicações foram feitas com oxicloreto de cobre, na dose de 40-50 mg de cobre metálico/m³ de copa, de outubro a novembro, e as demais aplicações foram feitas com estrobilurina (piraclostrobina), na dose de 2,8 mg de ativo/m³ de copa, acrescida de óleo mineral (0,25%), de dezembro a maio. Plantas não protegidas com fungicidas foram utilizadas como testemunhas.

Embora as aplicações em pomares de Hamlin tenham reduzido os sintomas de pinta preta, a severidade da doença foi baixa (<1,5%) e a queda de frutos não foi afetada. O mesmo foi observado nos pomares de Pera com oito a 13 anos. Já nos pomares de Valência com dez a 12 anos, o período de controle por pelo menos 140 dias reduziu ao máximo a queda de frutos (veja no esquema abaixo).

Segundo o estudo, a adoção do programa convencional de controle da pinta preta em pomares mais novos de variedades colhidas mais precocemente, apesar de reduzir os sintomas, pode não resultar em retorno financeiro se a fruta for destinada ao processamento de suco.

Os pomares de Pera e Valência com 22 a 24 anos foram mais afetados, com severidade superior a 3% em plantas não protegidas. O aumento do período de controle esteve relacionado com a redução dos sintomas da doença. A queda de frutos foi reduzida com proteção por, pelo menos, 140 a 180 dias (de outubro a março/abril).