NOTÍCIAS
compartilhar este link
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
28/06/2019
Uma visão global do mercado de laranja

CitrusBR - 28/26/2019 - Acompanhe o que está acontecendo no setor na Europa, Estados Unidos, China e outros países


Mercosul e União Europeia firmam acordo de livre comércio

Após 20 anos de negociações, o governo brasileiro anunciou hoje a conclusão do Acordo Mercosul-União Europeia. O Acordo precisa ser ratificado pelo parlamento dos países membros dos dois blocos. Estima-se um prazo de dois anos para conclusão das aprovações locais. Suco de laranja, café solúvel e frutas terão tarifas eliminadas.

O Acordo Mercosul-União Europeia beneficia o setor de suco de laranja com a desgravação de tarifa ao longo dos próximos 10 anos para diversos NCM’s. 

Europa: produção de cítricos deve chegar a 11,6 milhões de toneladas

A produção de cítricos nos países da União Europeia na safra 2018/2019 deve chegar a 11.6 milhões de toneladas, de acordo com o Gain Report, divulgado nesta semana. Esse valor é 8% maior em relação à safra anterior e semelhante às estimativas já apresentadas. 

O aumento, segundo a publicação, deve-se, principalmente à recuperação da produção na Espanha, que é o principal polo produtor da Europa. O que motivou a produção por lá foram as boas condições climáticas, que facilitaram a floração. 

A Espanha estima um aumento de 14,6% na produção de variedades cítricas deste ano, em relação à do ano passado, que foi de 7,3 milhões de toneladas, e 4% acima das estimativas. A produção de laranja é estimada em 3,7 milhões de toneladas, 10.7% a mais que na safra anterior.

Em fevereiro deste ano, os citricultores espanhóis chegaram a protestar contra a Comissão Europeia porque o aumento nas importações de laranjas da África do Sul fez com que os preços locais caíssem. No entanto, a recuperação da produção espanhola pode reduzir as importações em 2019.
Em relação às exportações, os destinos principais continuam, de acordo com o Gain Report a ser o Canadá, o Oriente Médio e a China. 

Na Grécia, ainda conforme o Gain Report, a produção de laranja na safra 2018/2019 deve diminuir 4,2%, em comparação com o ano anterior, devido às condições climáticas desfavoráveis que atingiram o país no período da frutificação.

Em Portugal a produção de laranja deve aumentar porque as propriedades investiram em áreas irrigadas, principalmente na região do Algarve (sul). A estimativa é que a produção aumente 15% em relação à safra anterior devido às condições climáticas favoráveis. 
Em maio de 2019, Portugal e China assinaram um acordo para agilizar procedimentos de exportação. O Ministério da agricultura, florestas e desenvolvimento rural Português está trabalhando intensamente para cumprir o acordo e uma missão chinesa deve visitar a região de Algarve em agosto. 

A produção de suco de laranja na União Europeia está prevista para ser de 106.120 toneladas, 9% acima do ano anterior. De acordo com o Gain Report, o consumo de suco de laranja na UE deve continuar caindo, apesar da Campanha FJM, realizada em 14 países do bloco.

E a produção de suco de laranja?

Durante a safra 2017/2018, conforme informações do Gain Report, a UE importou 695.499 toneladas de suco de laranja (US$ 1,4 bilhão). O Brasil continua representando 90% das importações, seguido pelo México, Egito, África do Sul e Estados Unidos. 

Na safra 2017/2018, o volume de suco de laranja importado pela Europa caiu 66% em relação ao período anterior (US$ 9 milhões). 

No período, a UE exportou 55.494 toneladas de suco de laranja (US$ 150 milhões). Os principais destinos foram a Arábia Saudita, Japão, China e Rússia. Os embarques para a China aumentaram bastante nos últimos 3 anos e, só em 2017, as exportações para os Estados Unidos chegaram a 2008 toneladas (US$ 6 milhões).

Vendas em baixa para os Estados Unidos

O FoodNews desta semana informou que as vendas de suco de laranja no varejo para os Estados Unidos no último mês (até o dia 8 de junho) caíram 3%, para 28 milhões de galões (US$ 197,02 milhões). A informação havia sido divulgada  pela AC Nielsen para o Departamento de Citrus da Flórida. 

Esse índice representa uma perda maior que nas quatro semanas anteriores, quando a queda foi de 0,5%. Houve um aumento de 2,1%, para US$ 0,15 no preço médio de um galão de suco de laranja, US$ 7,04 / galão. 

As vendas de NFC caíram 5,9% (novamente, uma queda mais acentuada do que a anterior), para 16,20 milhões de galões, no valor de US$ 137,24 milhões. Houve ainda um aumento de 5,2% no preço médio do litro de suco de laranja NFC para US$ 8,47 (US$ 8,05 no mesmo período da última safra).

As vendas de suco reconstituído, no entanto, subiram (pelo terceiro mês consecutivo) 2,1%, para 9,74 milhões de galões. Uma queda de 12 centavos no preço do galão, para US$ 4,86, o que não foi suficiente para provocar um aumento de valor. Os valores caíram 0,4%, para US$ 47,37 milhões.

Até o momento, as vendas caíram 6,0% em volume em 279,79 milhões de galões e 3,1% em valor em US $ 1,959 bilhão. O preço médio de um litro de suco de laranja subiu para US$ 7,00 (US $ 6,79).

Suco de maçã: exportações chinesas caíram em maio 

A China exportou 18.000 toneladas de AJC em maio deste ano, em comparação com mais de 50.000 toneladas em maio de 2018. A informação foi divulgada pelo FoodNews desta semana. O AJC chinês foi cotado a US$ 1.260 por tonelada, mas as exportações em maio estariam sujeitas ao novo imposto americano de 25%. Como nos meses anteriores, o maior cliente da China em maio foi o Japão, que levou pouco mais de 4.700 toneladas, mais ou menos o mesmo volume que comprou em maio de 2018 (5.180 toneladas na safra passada). Em segundo lugar ficou a África do Sul com 2.480 toneladas (3.750 toneladas no período anterior), e a Rússia ficou em terceiro com 1.980 toneladas (3.580 toneladas na safra anterior).

Até o momento, a China exportou cerca de 261.700 toneladas de AJC. O total do ano passado foi de quase 609 mil toneladas e, em toda a safra, a China exportou cerca de 708,5 mil toneladas. 
O total final da China para esta safra deve ser em torno de 300.000 toneladas, ou apenas um pouco menos do que o IEG Vu estima que produziu. 

O suco de abacaxi tailandês continua fraco 

O abacaxi fresco para o processamento de suco ficou próximo US$ 290 por tonelada, mas os preços atuais do PJC ainda não são marcadamente mais altos do que em fevereiro-março. A informação é do FoodNews.

Fontes do IEG Vu relatam que o mercado ainda é muito plano. "Sem demanda e poucas vendas", disse um deles, enquanto outro comentou: "O preço da fruta ainda está subindo".

Neste momento, parece haver uma escassez de matéria-prima e muito pouco está sendo processado para o suco. A Thai PJC está em torno de US $ 1.250-1.300 por tonelada FOB atualmente, mas teme-se que quando as próximas entregas de frutas sejam feitas para as plantas de processamento, a Tailândia será forçada a aumentar seu preço para cerca de US $ 1.500 / t. Por essa razão, alguns compradores estão tentando cobrir os preços atuais com antecedência, mas como os processadores estão bem cientes da situação, é improvável que concordem.

Além disso, à medida que o concentrado tailandês aumenta, eleva o risco de se tornar mais caro do que o PJC da Costa Rica, que atualmente está em torno de US $ 1.400/tonelada.