NOTÍCIAS
compartilhar este link
Notícias pelo mundo

06/12/2019 16:45:44
Notícias pelo mundo

29/11/2019 16:49:04
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
14/02/2019
Produção de citros na Turquia será maior esse ano

Fresh Plaza - 14/02/2019 - Só nesta safra já foram produzidas cerca de 270 mil toneladas de frutas cítricas. Região de Mugla é responsável por 80% da produção que vem dos pomares de Ortaca


A região de Mugla, localizada no sudoeste da Turquia é um dos centros de produção de citros mais importantes do país. Só nesta safra já foram produzidas cerca de 270 mil toneladas de frutas cítricas, e tanto os agricultores quanto os consumidores estão satisfeitos com o aumento da produção.
 
Os distritos de Koycegiz, Ortaca e Dalaman, também na Turquia, produzem e exportam frutas cítricas. O presidente da seção de agricultura de Ortaca, Salim Callu, afirma que “a cidade é o principal centro de produção na região do mar Egeu”. Além de ressaltar que a produção e exportação das frutas cítricas é muito importante para a economia turca, “os rendimentos da produção são altos, coletamos grandes quantidades, mas os preços no mercado interno não foram tão altos quanto o esperado”, diz Callu.
 
Ele ainda afirma, que 80% da produção de citros de Mugla vem dos pomares de Ortaca. “Tivemos uma maior produção de citros do que em anos anteriores, e acima de tudo, os preços de laranja e limão diminuíram no mercado”.
 
O presidente da seção de agricultura de Ortaca, relatou que houve um aumento nas exportações de citros graças ao mercado russo. Segundo ele, a maior receita veio de laranjas e romãs. Países como a Rússia, Ucrânia, Geórgia, países da Ásia Central, Polônia, Hungria, Romênia, Itália e Holanda, estão entre os principais que importam citrinos turcos.
 
Ele afirma que não houve nenhum problema nas exportações. “Desde que tomamos medidas preventivas, nossos produtos eram de alta qualidade. Por isso, não tivemos problemas com a exportação, e com os frutos que enviamos para a Rússia”, continua. “Nenhum de nossos produtos foi devolvido. E continuamos exportando cítricos para a Rússia”.