NOTÍCIAS
compartilhar este link
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
21/11/2018
Fresh Plaza traz panorama do mercado mundial de citros

Fresh Plaza - 21/11/2018 - O levantamento apresenta informações sobre os principais produtores de citros


O portal de notícias Fresh Plaza fez um levantamento das principais informações do mercado citrícola ao redor do mundo, com dados sobre a situação geral dos pomares citrícolas e a questão do clima em alguns países, confira:

O mercado de citros no Brasil segue otimista: Como mostrou a primeira previsão divulgada meses atrás, os produtores brasileiros seguem otimistas em relação à safra 2019/2020 de laranja. O volume de chuvas já excedeu a média histórica entre novembro e outubro em algumas regiões pertencentes ao parque citrícola, principalmente nas áreas de São Paulo. Produtores relataram que as expectativas seguem positivas para os campos de cultivo do sul, já que as condições climáticas previstas são favoráveis. 

Produtores da Califórnia esperam tamanho de frutos menores: A temporada na Califórnia é considerada o oposto do ano passado, quando o tamanho das frutas era em sua maioria grandes. Uma das dificuldades no desenvolvimento das laranjas é o tempo seco que tem assolado a região do estado norte-americano. 

Mercado de frutas da Itália: A safra 2018/19 se iniciou na Itália com boas expectativas para algumas regiões, a exemplo da produção das laranjas de Ribera, em Sicília, que mesmo sofrendo com a tristeza do citros, doença causada pelo vírus CTV que ataca as frutas cítricas em geral, espera um aumento de 20% para este ano. Nos últimos dias, a venda do primeiro lote de laranjas Navelinas começou com um preço maior se comparado ao do ano passado. Produtores afirmam que a alta no preço é por conta da excelente qualidade e do tamanho médio que as frutas se encontram.

Exportadores argentinos estão interessados no mercado mundial: A China foi um dos países que decidiu abrir suas fronteiras para as frutas cítricas da Argentina. O país recebeu contêineres de laranjas argentinas pela primeira vez na história, abrindo novas perspectivas sobre o que mercados similares poderiam oferecer. Os exportadores argentinos também pretendem enviar laranjas para o mercado norte-americano.

Na Grécia, as expectativas para esta temporada seguem positivas: Apesar de o cultivo grego ser amplamente fragmentado, de modo que a área cultivada pelo produtor é pequena, a colheita segue ótima e a qualidade que se encontra os frutos também. As exportações estão concentradas principalmente nos países da Europa Oriental, com a Polónia, Balcãs, Roménia e a Bulgária como os destinos mais importantes. 

Mercado espanhol está preocupado com a safra: As últimas variedades de laranjas valências sul-africanas estão sendo vendidas no mercado europeu. Enquanto isso, a safra espanhola já começou nas regiões de Andaluzia e Valência, no qual a última região citada, tem sido uma das maiores preocupações para os produtores por conta das chuvas fortes. Segundo o relato de produtores da região, alguns pomares foram inundados e a água também chegou às estações de embalagem. Com toda essa situação, as frutas não estavam sendo colhidas, o rendimento é 23% menor, causando um impacto negativo no mercado. 

Colômbia ganha acesso aos Estados Unidos: Na safra deste ano, a Colômbia ganhou acesso ao mercado dos Estados Unidos pela primeira vez. O país norte-americano é considerado um mercado de exportações importante para a Colômbia. Entre janeiro e setembro deste ano, o volume de exportações de limão tahiti para cinco destinos internacionais totalizou cerca de 212 mil toneladas. Nas estimativas anteriores, o governo acreditava que seria possível enviar o primeiro lote de frutas cítricas para os EUA somente em 2019, o que foi descartado.     

Uruguai pretende aumentar as exportações: Entre janeiro e junho deste ano, o país exportou cerca de 30 mil toneladas de mandarinas, laranjas e limões, gerando um faturamento nas receitas de U S$ 20 milhões, o equivalente a R$ 75,3 milhões. Os EUA foram considerados um dos mercados mais importantes, representando 60% do volume em exportações. A União Europeia ficou em segundo com 20% das exportações. Em seguida, estão no ranking, a Rússia, Brasil, Canadá e Emirados Árabes Unidos. O Uruguai tem procurado se expandir cada vez mais, ainda mais depois que os importadores chineses mostraram interesse nas laranjas de valência que estavam expostas no mercado entre julho e agosto.

Temporada australiana tem quebrado recordes: Os produtores de Queensland relataram que a safra deste ano está bem mais curta e menor se comparado a do ano passado, afirma a Citrus Austrália. Mesmo assim o setor está se preparando para um segundo ano de recordes nas exportações, segundo o relatório da Citrus Austrália, houve um aumento de 10%, ultrapassando US $ 500 milhões, o equivalente a R$ 1,8 bilhão pela primeira vez.

A expansão em novos mercados se tornou essencial para os produtores australianos conseguirem lidar com a concorrência de outros países. A exemplo da China e Japão que se tornaram importantes destinos de exportação para as laranjas umbigo.