NOTÍCIAS
compartilhar este link
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
22/06/2018
EUA suspende proibição de cítricos na África do Sul

CitrusBR 22/06/2018 - A entrada deve ser autorizada para regiões onde ocorre a Pinta Preta

 O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), deve alterar as regras para autorizar a importação de diversas variedades de citrinos frescos e híbridos, de áreas na África do Sul onde ocorre a pinta preta de citros.

 "Como condição de entrada, a fruta terá que ser produzida de acordo com uma abordagem de sistemas que inclua rastreabilidade de remessas, registro e procedimentos de packing house (empacotamento/processo pós-colheita) e tratamento fitossanitário", segundo a declaração dada pelo Registro Federal dos EUA.

 Os citrinos também teriam de ser importados em remessas comerciais e acompanhados de um certificado fitossanitário, emitido pela Organização Nacional de Proteção Vegetal da África do Sul. Além de uma declaração adicional confirmando que os frutos haviam sido produzidos de acordo com a abordagem sistemática.

 O CEO da Associação dos Produtores de Citrinos da África do Sul, Justin Chadwick, disse à FTW Online que as regulamentações alteradas não resultariam em nenhuma remessa adicional para os Estados Unidos neste ano, mas que possivelmente entraria em vigor em 2019. 

 "Atualmente, exportamos frutas cítricas para os EUA, cerca de 150 mil toneladas por ano, mas apenas das regiões oeste e norte do Cabo, devido à mancha preta de citros", disse Chadwick. "Essa decisão significa que a área da qual podemos exportar será estendida para o resto da África do Sul."

 Haveria, no entanto, diversas oportunidades para crescer nos EUA como um mercado de exportação, especialmente para toranjas. Já que não havia muita oferta doméstica no país durante a safra da África do Sul e ninguém exportava frutas para os Estados Unidos durante esse período.

 "Há também a oportunidade de exportar pequenos volumes de tangerinas tardias por volta do período de setembro e laranjas de Valência", disse Chadwick. 

 Ele ainda afirmou que, "No entanto, precisamos garantir que possamos desenvolver o mercado de forma responsável e não se apresse em transborda-lo, o que faz com que os EUA tomem todas as medidas contra todas as nossas exportações de citros para o país."