NOTÍCIAS
compartilhar este link
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
18/09/2017
Armadilhas têm alta de 52% na captura de psilídeos

Fundecitrus - 18/09/2017 - Segundo o Fundecitrus, aumento foi registrado por meio do Alerta Fitossanitário no Cinturão Citrícola em agosto, quando comparado com o volume capturado em julho

O sistema de Alerta Fitossanitário do Fundecitrus, que monitora a presença do psilídeo 
Diaphorina citri em armadilhas instaladas no parque citrícola de São Paulo e Minas Gerais, 
registrou um aumento de 52% na captura do inseto em agosto quando comparado com julho. O 
incremento na incidência do psilídeo, inseto transmissor do greening (huanglongbing/HLB), 
aponta para a necessidade de intensificação do seu controle.

De acordo com o engenheiro agrônomo do Fundecitrus, responsável pelo sistema, Ivaldo Sala, 
um dos principais motivos para o aumento da população do inseto foi o incremento das brotações 
das plantas. “Das armadilhas monitoradas pelo sistema, 45% estão instaladas em árvores com 
estágios vegetativos iniciais, os preferidos pelo psilídeo para se alimentar e reproduzir”.

As brotações são portas de entrada na planta para uma série de microrganismos, inclusive a 
bactéria do greening, levada pelo psilídeo. As pesquisas do Fundecitrus mostram que, por causa 
da maciez do tecido em desenvolvimento e da qualidade nutricional, o inseto prefere predominantemente os brotos novos do que as folhas maduras para se alimentar e reproduzir.

“Acompanhar a dinâmica da brotação e intensificar as pulverizações quando surgem os surtos e durante o crescimento dos brotos são fundamentais para o sucesso do controle. E isso é ainda mais importante 
nas bordas das propriedades, por onde entram os insetos vindos de fora, que muitas vezes se 
alimentaram em plantas doentes e trazem a bactéria. Trata-se de uma adequação em relação ao que o 
citricultor que se previne já faz”, diz o pesquisador do Fundecitrus Silvio Lopes.

Para ajudar a controlar o psilídeo, o sistema de Alerta Fitossanitário irá emitir comunicados aos 
produtores nos períodos de alta população do inseto e, consequentemente, contaminação das plantas. 
O sistema conta com o apoio da Empresas Amigas do Citricultor: Bayer CropsCience, Syngenta, Koppert 
e FMC.