NOTÍCIAS
compartilhar este link
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
21/02/2017
Dia de Campo aponta saídas para controle do Cancro no PR

Fundecitrus - 21/02/2017 - Evento será realizado nos dias 15 e 16 de março no Paraná

O Fundecitrus, em parceria com o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e a Cocamar, realiza, em 15 e 16 de março, o 3º Dia de Campo sobre o controle de cancro cítrico, nos municípios de Xambrê e Guairaçá, no Paraná. No evento serão apresentados como o manejo integrado com a instalação de quebra-vento, aplicação de cobre, controle do minador e escolha de variedades podem contribuir para minimizar os efeitos da doença.

O dia de campo é destinado a citricultores, agrônomos e técnicos que atuam na citricultura. As visitas começam na quarta-feira pelo campo experimental onde são avaliadas as medidas de prevenção e manejo, que fica na Estação Experimental do Iapar, em Xambrê. Os participantes poderão conferir a incidência da doença em plantas tratadas com oito combinações das medidas de manejo que envolvem quebra-vento, aplicação de cobre e controle do minador dos citros (clique aqui para assistir ao vídeo sobre o experimento).

No dia seguinte, a visita será no experimento que testa a capacidade de resistência de 76 variedades, a maioria laranjas, ao cancro cítrico, na Unidade de Desenvolvimento Tecnológico (UDT) da Cocamar, em Guairaçá.

O experimento de Xambrê foi instalado em 2010, e o de Guairaçá em 2012. A primeira tentativa de iniciar as pesquisas para avaliar o efeito das medidas de manejo integrado começou em 2003, em Ilha Solteira/SP, mas não foi possível dar continuidade devido à obrigatoriedade de erradicar as plantas com cancro cítrico no Estado de São Paulo. O experimento então foi direcionado para o Paraná, onde a doença é endêmica.

“Essa é a última oportunidade dos citricultores visitarem o experimento e conhecerem de perto o efeito das medidas, pois este ano será finalizado. Também é um momento de tirar dúvidas em relação ao manejo da doença, que passa a ser permitido no Estado de São Paulo a partir de março”, diz o pesquisador do Fundecitrus Franklin Behlau, responsável pela pesquisa.

As inscrições são gratuitas e vão até 13 de março (clique aqui para se inscrever).