NOTÍCIAS
compartilhar este link
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Informação compartilhada

09/08/2013 11:09:00
Os caminhos da citricultura

25/04/2013 13:01:00
Citricultura na TV

11/04/2013 15:11:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Novos rumos para a laranja

13/03/2013 16:02:00
Os números da safra

08/03/2013 15:47:00
O mapa dos citros na Europa

03/01/2013 11:29:00
02/02/2017
Asaja exige aplicação de moção para defender citros andaluz

FreshPlaza - 02/02/2017 - A Associação Agrária de Jovens Citricultores exige que seja aprovada a moção em que apoia o setor da Andaluzia.

Asaja exigiu a aplicação da moção já aprovada na Comissão de Agricultura, Pesca e Alimentação do Senado espanhol, que incentiva o Governo a pedir à União Europeia a adoção de medidas para apoiar o setor de citrinos da Andaluzia após o acordo com a África do Sul.

A moção, aprovada em 25 de Janeiro, concorda com os requisitos propostos pela Asaja, uma vez que foi anunciado o acordo com a África do Sul, que "representa um risco econômico" para o setor citrícola espanhol, onde a Andaluzia é a segunda região mais importante, com mais de 600 mil hectares em lavouras.

A Asaja recordou numa declaração que o acordo com o país africano implica "inundar os mercados com uma fruta que não é produzida sob os mesmos padrões de qualidade, fitossanitários e de responsabilidade social aplicados na Europa e especificamente em Espanha, razão pela qual o acordo em considera-se extremamente injusto para os produtores espanhóis". 

Além disso, a entrada de frutos que não tenham sido submetidos aos mesmos tratamentos e controlos fitossanitários representa um perigo real de propagação de doenças e pragas, o que seria absolutamente desastroso para a agricultura na UE.

A associação ressaltou que "tais moções são inúteis se as medidas estabelecidas no documento não forem verdadeiramente aplicadas, por isso esperamos que o governo tome a sério a ameaça da entrada de pragas e seja firme na defesa de nossos interesses".

A organização agrária lembrou que, durante alguns meses, as Ilhas Baleares sofreram o impacto dos danos causados ​​pela letal Xylella fastidiosa, uma bactéria capaz de matar colheitas como azeitonas ou videiras, e que poderia causar um verdadeiro desastre para a nossa Agricultura se fosse chegar à Península ".