NOTÍCIAS
compartilhar este link
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Informação compartilhada

09/08/2013 11:09:00
Os caminhos da citricultura

25/04/2013 13:01:00
Citricultura na TV

11/04/2013 15:11:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Novos rumos para a laranja

13/03/2013 16:02:00
Os números da safra

08/03/2013 15:47:00
O mapa dos citros na Europa

03/01/2013 11:29:00
Menos laranja na Flórida

12/12/2012 15:06:00
05/08/2016
Califórnia aposta em vespas para conter greening

Freshplaza - 05/08/2016 - Pesquisadores da Unviersidade Cal Poly Pomona estão estudando o uso das tamarixias, vespas que comem os insetos que carregam a doença e evitam a propagação do psilídeo nas plantações de laranja.

Pesquisadores da Universidade de Cal Poly Pomona na Califórnia estão produzindo vespas sem ferrão, as tamarixias, para ajudar a conter a população de pragas de citros na Califórnia. "As vespas vão comer os insetos que carregam a doença ou se alimentar de insetos que carregam a doença e assim diminuiremos o problema," explicou o professor Cal Poly Pomona Valerie Mellano.
No Brasil, o uso das tamarixas já vem sendo usado desde o ano passado quando o Fundecitrus inaugurou um laboratório para a produção dos insetos. “Não é uma solução definitiva, mas sim mais uma ferramenta para o controle do greening, principalmente em áreas urbanas e pomares abandonados, onde é mais dificil o uso do controle químico”, explicou o gerente do Fundecitrus, Juliano Ayres. 

Essa é a exatamente a tática que os pesquisadores californianos querem adotar.  "Há um monte de pessoas que têm árvores de citricas em seus quintais. É muito difícil  controlar com pesticidas começando pelo acesso", disse Mellano