NOTÍCIAS
compartilhar este link
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Informação compartilhada

09/08/2013 11:09:00
Os caminhos da citricultura

25/04/2013 13:01:00
Citricultura na TV

11/04/2013 15:11:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Novos rumos para a laranja

13/03/2013 16:02:00
Os números da safra

08/03/2013 15:47:00
O mapa dos citros na Europa

03/01/2013 11:29:00
Menos laranja na Flórida

12/12/2012 15:06:00
Europa desvendada

16/10/2012 15:29:00
07/04/2016
Ásia tem fome de citros australianos

Freshplaza.com - 07/04/2016 - Aumento do poder aquisitivo em países como China e Filipinas é oportunidade para produtores da Austrália

A economia chinesa vem crescendo a passos mais lentos nos últimos anos, mas esse 
desaquecimento não diminuiu a fome dos chineses pelo consumo de citros australianos. 
Só no ano passado, a Austrália exportou 205 mil toneladas de frutas cítricas in natura, com 
uma receita estimada em US$ 280 milhões de dólares. Com esses números, a China é 
atualmente um dos principais mercados para as frutas cítricas australianas. Os 
dados foram apresentados pela Citrus Australia em março, durante o Citrus Market 
Outlook Forum, que aconteceu em Sidney.

Segundo o especialista em comércio internacional, Laurie Smith, o crescimento lento 
de grandes economias tem um significado positivo para os exportadores australianos. 
“De fato o crescimento da China agora é metade do que foi a média dos últimos anos, 
durante o boom no início dos anos 2000, mas depois de 35 anos da reforma e rápido 
crescimento, a China agora é uma economia bastante grande”. 

Para ele, o aumento do mercado premium nos últimos anos, graças ao crescimento da 
classe média chinesa foi o marco do desenvolvimento econômico da China. Para ele, 
foi na qualidade e não no preço onde a Austrália ganhou vantagem competitiva. 

Uma pesquisa recente da Austrade, departmento de comércio exterior do governo australiano, 
mostrou que quase dois terços dos consumidores chineses afirmaram estar mais propensos a 
comprar um produto produzido por uma empresa australiana. “Uma pesquisa de 2014 mostrou 
que a qualidade do produto e o preço se igualaram entre os critérios mais importantes 
para tomada de decisão para dois terços dos consumidores que fazem compras online, por 
exemplo”, afirmou Smith.

O mercado filipino também tem demanda para produtos premium australianos, incluindo as 
frutas cítricas, segundo a gerente de desenvolvimento de negócios da Austrade, Vanessa 
Perez. Segundo ela, em 2014, a Austrália exportou 3.533 toneladas de citros para as 
Filipinas, cuja receita fechou em US$ 3,27 milhões. O desenvolvimento econômico das 
Filipinas nos últimos anos também provocou aumento da renda e expansão da classe média, 
que tem apetite por produtos de melhor qualidade.