NOTÍCIAS
compartilhar este link
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Informação compartilhada

09/08/2013 11:09:00
Os caminhos da citricultura

25/04/2013 13:01:00
Citricultura na TV

11/04/2013 15:11:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Novos rumos para a laranja

13/03/2013 16:02:00
Os números da safra

08/03/2013 15:47:00
O mapa dos citros na Europa

03/01/2013 11:29:00
Menos laranja na Flórida

12/12/2012 15:06:00
Europa desvendada

16/10/2012 15:29:00
16/11/2015
Chuvas voltam ao interior de SP e favorecem citricultura

Brasilagro - Segundo a Climatempo, precipitações podem ajudar na próxima safra, que já sofreu danos causados pelo El Niño


“As temperaturas vão continuar altas em todo o estado de São Paulo em decorrência do El Niño”. A previsão, dada pelo meteorologista da Climatempo, Alexandre Nascimento, coloca em alerta os produtores paulista da laranja, fruta que é cultivada no Brasil durante o ano inteiro, mas que, ainda assim, como qualquer outra planta, também sofre influências significativas do clima.

Neste ano, a chamada safra tardia da laranja (que vai de setembro até dezembro), está sendo influenciada pelo fenômeno El Niño e resistindo a altas temperaturas, causadas por ele, justamente em um período muito delicado: a floração da planta. “No centro e Norte do estado de São Paulo não tivemos muita chuva e, como o tempo estava muito quente e seco, as flores acabaram caindo sem dar frutos”, diz Rubens Paulo Stamato, consultor e presidente do GTACC – Grupo Técnico de Assistência e Consultoria em Citrus, que já demonstra, diante disso, uma preocupação com a safra do próximo ano.

Chuva salvadora

Toda a apreensão dos citricultores, no entanto, pode ser amenizada pela chuva que tem atingido São Paulo desde o início de novembro e, inclusive, Barretos, uma das principais produtoras da fruta no estado.

De acordo com a estação automática do INMET, em Barretos, já choveu 72 mm de chuva entre o dia 1° de novembro e a última quarta-feira (11), sendo que a média é de 167 mm para o mês. ” As chuvas estão dentro do normal, mas continuarão, pelo menos até o fim do mês, devido à alta umidade aliada à temperatura elevada, que contribuem com a formação de nuvens carregadas”, diz o meteorologista Alexandre Nascimento.

Algumas frentes frias também podem avançar para o Sudeste e ajudar a reforçar as áreas de instabilidade, mas, toda essa chuva, embora atrapalhe a colheita da fruta (como aconteceu, pontualmente, na primeira semana deste mês), chega em boa hora e contribui com os frutos que ainda estão em desenvolvimento, conclui o meteorologista.

“Nesta época do ano, principalmente com as altas temperaturas registradas e previstas, é muito bom ter água no solo, pois isso faz com que a umidade na terra aumente e ajude a planta a absorver os nutrientes”, afirma o presidente Rubens.