NOTÍCIAS
compartilhar este link
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
29/07/2015
CitrusBR divulga estoque de suco de 30/06/2015

Segundo levantamento, volume armazenado de suco brasileiro era de 510.393 toneladas FCOJ Equivalente a 66º Brix

Compromisso de transparência

ESTOQUES AUDITADOS EM 30 DE JUNHO DE 2015, PROJEÇÃO APROXIMADA DE ESTOQUES EM 30 DE JUNHO DE 2016 E COMPARATIVO HISTÓRICO DOS ESTOQUES NA DATA CORTE DE SAFRAS


A Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR) informa que os estoques globais de suco de laranja brasileiro em posse de suas empresas associadas eram de 510.393 toneladas convertidas em FCOJ equivalente a 66º Brix em 30 de junho de 2015, data considerada corte da safra 2014/2015 para a safra 2015/2016. Como de costume, o levantamento foi realizado por auditorias em cada uma das empresas associadas e, posteriormente, consolidado por auditoria externa independente.

Do total armazenado, 335.775 toneladas encontravam-se em unidades industriais, centros de estocagem e terminais marítimos das associadas no Brasil. As outras 174.618 toneladas, portanto, encontravam-se em trânsito marítimo, bem como em terminais portuários, centros de armazenagem e distribuição no Exterior (Estados Unidos, Europa, Ásia e Oceania).

Abaixo, para efeito comparativo, a CitrusBR detalha os históricos de estoque de FCOJ equivalente a 66º Brix nos períodos de corte de safra (30/06) e meio de safra (31/12) nos anos anteriores. 



ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO E DE PROCESSAMENTO DE LARANJA PARA SAFRA 2015/2016:

Em 19 de maio passado o Fundo de Defesa do Citricultor (Fundecitrus), por meio do Projeto PES, divulgou estimativa para a safra 2015/16 para São Paulo e Triângulo Mineiro em 278,9 milhões de caixas de laranja de 40,8 quilos. A CitrusBR estima que desse total, 30 milhões de caixas serão absorvidas pelo mercado interno para o consumo de frutas in natura, restando 248,9 milhões de caixas para processamento por todas as indústrias associadas e não associadas à CitrusBR, 13% a mais do que o estimado em maio de 2015. 

ESTIMATIVA DE RENDIMENTO INDUSTRIAL DE SUCO E PRODUÇÃO DE SUCO DE LARANJA PARA SAFRA 2015/16:

Com base nos meses de maio, junho e julho, em que as indústrias paulistas já experimentam um dos piores índices de rendimento industrial ora vivenciados é possível estimar que o rendimento industrial projetado para a safra 2015/2016 será de 280 caixas de 40,8 quilos de laranja para a produção de uma tonelada de FCOJ equivalente a 66º Brix. O volume é 16,5% superior às 240,5 caixas necessárias para a produção da mesma tonelada de FCOJ equivalente a 66º Brix na temporada anterior. A produção total de FCOJ está estimada num total de 888.452 toneladas de FCOJ equivalente a 66º brix na safra 2015/16. 

A piora do rendimento industrial é decorrente do excesso de chuvas ocasionado pelo fenômeno El Ninho que ainda pode trazer índices pluviométricos acima da média para os próximos meses. Como consequência direta, a CitrusBR estima que o Brix médio da safra será de 10,5, abaixo do considerado ideal, porém, acima do mínimo estabelecido no “Code of Practice” da Associação Europeia de Sucos de Frutas (AIJN, sigla em francês). O fenômeno climático também pode trazer danos ao chamado “pegamento” dos frutos por se tratar de uma safra de múltiplas floradas. 



HISTÓRICO DAS EXPORTAÇÕES SECEX E ESTIMATIVA DE DEMANDA INTERNA E EXTERNA DE SUCO DE LARANJA PARA A SAFRA 2015/16:

A CitrusBR estima para a temporada 2015/2016 uma demanda total de 1.069.500 toneladas de FCOJ equivalente a 66º Brix, em torno de 8,7% abaixo do registrado no ano-safra anterior, finalizado em 1.171.000 toneladas. Da demanda total prevista estima-se que 1.014.500 toneladas serão exportadas e 55.000 toneladas destinadas ao mercado interno. A retração estimada tem como base os altos estoques reportados pelo Departamento de Citrus da Flórida (FDOC), 12,9% superior do que o registrado na mesma data do ano anterior (42ª semana), arrefecendo a necessidade de suco importado para o consumo americano.  Abaixo o histórico de exportações brasileiras base Secex, assim como o balanço de oferta, demanda e estoque de FCOJ equivalente a 66º brix. 





COMPARAÇÃO DE DADOS DE FECHAMENTO DA SAFRA 2014/15 E ESTIMATIVAS DA SAFRA 2015/16:

Para a temporada 2015/2016 a CitrusBR estima uma redução de 21,2% na produção de suco na região do Cinturão Citrícola se comparado à temporada anterior. O recuo será de, aproximadamente, 240 mil e se dará pelos seguintes fatores:


1. Substancial queda no rendimento industrial com acréscimo de 16,5% de matéria prima (laranja) para produção de uma tonelada de FCOJ equivalente a 66º Brix em comparação ao índice obtido na a safra 2014/15 de 240,5 caixas por tonelada para a produção de uma tonelada de FCOJ equivalente 66ºBrix. Essa conjuntura se mostra extremamente favorável aos citricultores, mas desfavorável às indústrias processadoras. Isso porque a laranja adquirida apresenta mais quantidade água e menos teor de sólidos solúveis. Dessa forma, o rendimento se torna responsável por 57% da queda na produção estimada de FCOJ equivalente a 66º Brix. 

2. Redução na estimativa de processamento de laranja pelas associadas e não associadas a CitrusBR na safra 2015/2016 da ordem de 8,3% em comparação à safra 2014/15 em decorrência da projeção de queda da produção de fruta estimada pelo Fundecitrus em maio passado. Dessa forma, portanto, a menor oferta de suco é responsável 43% da queda na produção estimada de FCOJ equivalente. 



São Paulo, 30 de julho de 2015
Ibiapaba Netto
Diretor-Executivo