NOTÍCIAS
compartilhar este link
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
12/06/2015
Cientistas fazem novas descobertas sobre o greening

Freshplaza.com - 12/06/2015 - Pesquisadores da Universidade da Califórnia identificaram males que a doença causa antes de os primeiros sintomas aparecerem nas plantas

Novas descobertas sobre o desenvolvimento do greening nos pomares podem ajudar nas pesquisas que buscam encontrar a cura para o mal que vem destruindo pomares ao redor do mundo. Cientistas da Universidade da Califórnia descobriram como a doença afeta árvores cítricas antes mesmo de começar a mostrar sinais de infecção.

As novas descobertas indicam que a doença bacteriana interfere com o amido e a metabolização do açúcar em folhas e frutos jovens e maduros. Ao mesmo tempo, as bactérias causam estragos nas redes hormonais, que são fundamentais para a capacidade das árvores de se defenderem de infecções. Os resultados do estudo estão publicados na revista PLoS One.

"A Flórida está passando por apuros com as perdas causadas pelo greening e muitos especialistas acreditam que é apenas uma questão de tempo antes que a doença apareça com força total na Califórnia", diz o principal autor do estudo, Abhaya Dandekar, um biólogo molecular de plantas na Universidade da Califórnia.

Só no mercado de frutas frescas dos Estados Unidos, a doença causou perdas da ordem de US $ 3,4 bilhões em 2012. Por isso, os novos resultados oferecem esperança para o desenvolvimento de testes diagnósticos e tratamentos para a doença, que é atualmente incurável.