NOTÍCIAS
compartilhar este link
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Informação compartilhada

09/08/2013 11:09:00
Os caminhos da citricultura

25/04/2013 13:01:00
Citricultura na TV

11/04/2013 15:11:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Novos rumos para a laranja

13/03/2013 16:02:00
Os números da safra

08/03/2013 15:47:00
O mapa dos citros na Europa

03/01/2013 11:29:00
Menos laranja na Flórida

12/12/2012 15:06:00
Europa desvendada

16/10/2012 15:29:00
23/04/2015
Governo paulista enxerga fim da "sangria" da citricultura

Folha de S. Paulo - 23/04/2015 - Retomada da câmara da citricultura e discussões sobre desoneração do suco podem dar novo fôlego ao setor

A "sangria" da citricultura paulista pode estar chegando ao fim. A perda de pés de frutas continua, mas já em ritmo menor, segundo o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado, Arnaldo Jardim.

Levantamento da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, ligada à secretaria, indica que foram eliminados 13,1 milhões de pés de cítricos no segundo semestre do ano passado.

A boa notícia, segundo o secretário, é que, entre replantio e pomares novos, foram colocados 6,6 milhões de novas mudas no solo. Além disso, outro 1,5 milhão de plantas foi eliminado para reforma de pomares.

O levantamento aponta duas tendências no setor. Há uma concentração da produção da laranja para indústria nas grandes propriedades, mas surge também uma citricultura voltada para a oferta de laranja de mesa. E este deve ser um dos focos da política paulista para o setor.

Jardim diz que há uma retomada das atividades da câmara setorial da citricultura. Uma das preocupações é incentivar o consumo de suco, que vem caindo.

Entre as medidas para esse incentivo se discute a redução tributária sobre o produto, segundo o secretário.

"É um período difícil para reduções de alíquotas, mas como já foi feito com a água e o xarope de milho, estamos estudando essa redução", diz Jardim.

O secretário destacou que boa parte da eliminação dos pomares paulistas se deve ao greening -uma doença que avança no Estado. A pesquisa do segundo semestre de 2014 indicou a eliminação de 2,38 milhões de plantas devido a essa doença. Já o cancro cítrico foi responsável por outras 45,3 mil eliminações.

Muitos produtores, no entanto, desistiram dessa atividade e cortaram 4,02 milhões de plantas para investir em outras culturas. Outros citricultores, responsáveis pelo corte de 5,2 milhões de plantas, não informaram o motivo da saída do setor, segundo a Coordenadoria de Defesa Agropecuária.

Os números da coordenadoria indicam que 10,5 mil propriedades concentram 14% das plantas cítricas do Estado. Essas propriedades têm até 10 mil plantas cada.

Já outras 2.403 propriedades, com mais de 10 mil plantas cada, concentram os outros 86% de pés de cítricos. Apenas 11 propriedades detêm 22,6 milhões de plantas, 12% do total do Estado.

O levantamento indicou que 68 milhões de plantas estão na faixa de 8 a 16 anos. Outras 16 milhões têm mais de 20 anos.

A região de Barretos tem o maior pomar, com 23 milhões de pés, mas a citricultura avança para o sudoeste. As regiões de Itapetininga e de Avaré têm 21 milhões de pés.