NOTÍCIAS
compartilhar este link
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Informação compartilhada

09/08/2013 11:09:00
Os caminhos da citricultura

25/04/2013 13:01:00
Citricultura na TV

11/04/2013 15:11:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Novos rumos para a laranja

13/03/2013 16:02:00
Os números da safra

08/03/2013 15:47:00
O mapa dos citros na Europa

03/01/2013 11:29:00
19/02/2015
Consecitrus revê desavença histórica de produtor e indústria

Agência Estado Consecitrus revê desavença histórica de produtor e indústria um ano após aprovação

Ribeirão Preto, 19/02/2015 - Um ano após ser aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o Conselho dos Produtores de Laranja e da Indústria de Suco de Laranja (Consecitrus) nem sequer saiu do papel. Além disso, em vez da discussão sobre a cadeia citrícola, o Consecitrus reviu as desavenças históricas entre produtores e as companhias processadoras da fruta para a produção de suco.

 

Entre o dia 19 de fevereiro de 2014 e hoje, o Consecitrus se resumiu a uma disputa interna entre os produtores pela representatividade no conselho, à renúncia do diretor-executivo João Sampaio, ainda sem substituto e a duas reuniões improdutivas entre indústria e citricultores. Discussões polêmicas sobre a adequação do estatuto da entidade se arrastam desde outubro do ano passado.

 

O mais recente capítulo da disputa foi a publicação, no jornal da Associação Brasileira de Citricultores (Associtrus) deste mês, da informação de que uma proposta de estatuto do Consecitrus tinha sido encaminhada à Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR), entidade que representa a indústria de suco no conselho. Só que o presidente da Associtrus, Flávio Viegas, admitiu, ao Broadcast, que a informação "era só um balão de ensaio" para ver a reação da indústria e que a proposta de estatuto deve ser feita em breve. "A indústria não tem interesse de fazer um Consecitrus com equilíbrio em relação ao produtor", emendou.

 

"A Associtrus mente em dizer que encaminhou alguma coisa para nós. É o maior absurdo que poderíamos ouvir", foi a reação de Ibiapaba Netto, diretor-executivo da CitrusBR. "A gente não se manifesta sobre balão de ensaio, mas sobre propostas concretas e coletivas das entidades e esperamos que os produtores se manifestem sobre a adequação do estatuto como o Cade exigiu", completou Netto.

 

O presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), Gustavo Junqueira, também integrante do Consecitrus, admitiu que os produtores estão atrasados e precisam definir as propostas para o estatuto do conselho, cuja última reunião ocorreu há mais de dois meses. "A indústria sabe o que quer. Os produtores é que precisam definir", resumiu Junqueira.

 

O Broadcast teve acesso a uma das últimas versões do estatuto elaborado pelos produtores, que promete acirrar ainda mais a briga com a indústria. No documento, uma adequação ao estatuto já existente do Consecitrus antes da aprovação pelo Cade, os produtores propõem temas polêmicos, como limitar a produção de laranja da indústria de suco a apenas 40% da fruta processada.

 

Outra proposta dos citricultores é a criação de mecanismos de formação, financiamento e gestão de estoques de suco de laranja. "Esse assunto pode trazer problemas com órgãos de defesa da concorrência nacional e internacional, já que o Brasil é o maior produtor mundial da commodity", concluiu uma fonte do setor.

(Gustavo Porto - gustavo.porto@estadao.com)