NOTÍCIAS
compartilhar este link
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Informação compartilhada

09/08/2013 11:09:00
Os caminhos da citricultura

25/04/2013 13:01:00
Citricultura na TV

11/04/2013 15:11:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Novos rumos para a laranja

13/03/2013 16:02:00
Os números da safra

08/03/2013 15:47:00
O mapa dos citros na Europa

03/01/2013 11:29:00
Menos laranja na Flórida

12/12/2012 15:06:00
Europa desvendada

16/10/2012 15:29:00
28/01/2015
O futuro da citricultura na Flórida é incerto

Freshplaza.com - 28/01/2015 - Estudo aponta que produção de laranjas na safra 14-15 deve ser 63% menor do que o estado produziu há uma década

A Flórida deve produzir menos de 89 milhões de caixas de laranja este ano, segundo previsões dos meteorologistas. O volume é 63% menor do que os 242 milhões de caixas que o estado produzia há uma década.

Um relatório, divulgado em dezembro pela Universidade da Flórida estimou que os citrus geram US$ 10,6 bilhões no Estado anualmente, contribuindo com US$ 326 mil para os cofres públicos do Estado e da região. Mas por causa do greening, o estudo estima que a indústria empregou 18% menos trabalhadores na temporada 2012- 2013 do que há cinco anos, e gerou aproximadamente US$ 1 bilhão a menos em receita a cada ano desde 2007. Há agora 476 mil hectares de citros no estado, bem abaixo dos 750 mil acres cultivados em 2000.

Sem cura à vista para a doença, alguns produtores na Flórida estão começando a se perguntar se a indústria poderia desaparecer completamente dentro de alguns anos – e o que o Estado faria sem ela.

"Nós seríamos duramente pressionados para não ter citrus – mas a cultura é extremamente importante para o Estado, não só financeiramente, mas também como parte significativa do nosso negócio de exportação", disse Dominic Calabro, presidente do órgão governamental Florida TaxWatch.

Não é só o greening que vem fazendo os produtores desistirem da indústria. As geadas na década de 80, os furacões no início dos anos 2000 e o surgimento do cancro tornaram a vida dos produtores cada vez mais difícil. Plantas processadoras e envasadoras vêm se consolidando e dispensando funcionários ao longo de décadas e em zonas costeiras, os pomares têm sido arrancados e em seus lugares surgem casas e hotéis.

Além disso, os americanos parecem menos interessados em suco de laranja do que foram em décadas. Cerca de 90% da colheita de citros na Flórida vai para suco, que agora está competindo nas prateleiras com diferentes tipos de águas, refrigerantes e chás. No ano safra 2003-2004, os americanos consumiram uma média de 20,7 litros de suco de frutas cítricas por pessoa a cada ano. Já em 2012-2013, bebiam apenas 14,9 litros, de acordo com o Serviço de Estatística Agrícola da Flórida.

A produção de Grapefruit também está diminuindo já que as gerações mais jovens parecem não gostar muito da fruta, enquanto a geração mais velha é orientada a ficar longe de grapefruit se estiver tomando certos medicamentos. Com isso, a queda no consumo vem afetando também a produção: estado produziu 18 milhões de caixas de grapefruit em 2013, metade do que produzia há uma década.