NOTÍCIAS
compartilhar este link
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
Lista PIC

21/05/2015
Greening causa perdas na China

17/04/2015 15:30:27
Heinz e Kraft anunciam fusão

26/03/2015 17:11:06
Uma doutora em defesa do suco

09/03/2015 15:48:52
Um viva para os benefícios

02/03/2015 15:03:31
Modelo Consecitrus II

04/02/2014 16:13:00
Mais verba contra o greening

03/02/2014 11:12:00
Produção em queda

10/12/2013 15:43:00
Momento de unir forças

01/11/2013 12:43:00
A safra de Steger

19/08/2013 19:09:00
Informação compartilhada

09/08/2013 11:09:00
Os caminhos da citricultura

25/04/2013 13:01:00
Citricultura na TV

11/04/2013 15:11:00
Laranjas em queda

11/04/2013 14:24:00
Doenças avançam

08/04/2013 12:23:00
Novos rumos para a laranja

13/03/2013 16:02:00
Os números da safra

08/03/2013 15:47:00
O mapa dos citros na Europa

03/01/2013 11:29:00
Menos laranja na Flórida

12/12/2012 15:06:00
Europa desvendada

16/10/2012 15:29:00
27/04/2017
Manejo nas bordas ajuda a controlar o greening

Fundecitrus - 27/04/2017 - Pesquisa do Fundecitrus mostra que 80% das plantas com a doença estão nas extremidades dos pomares


Fazendas em todo o parque citrícola têm implantado linhas mais adensadas e paralelas à divisa 
da propriedade como forma de montar uma barreira para impedir a entrada de psilídeo, inseto 
transmissor de HLB, para as plantas do interior do pomar.

Uma das mais recentes medidas de controle de HLB foi baseada no “efeito de borda”, identificado 
em estudos desenvolvidos no Fundecitrus que comprovam que quando o psilídeo voa de um pomar para 
o outro, aterrissa nas primeiras plantas de citros que encontra e, consequentemente é nessa região 
que também se concentram as plantas com sintomas de HLB.

Experimento do pesquisador do Fundecitrus Renato Beozzo Bassanezi mostra que cerca de 80% das plantas com HLB estão nos 150 metros das extremidades dos pomares. Outra pesquisa, desenvolvida pelo engenheiro agrônomo Pedro Baccarin, apontou que 70% dos psilídeos capturados nas inspeções estavam nos primeiros 75 metros do talhão, sendo que a metade dos insetos fica nos 50 metros iniciais.

Durante outro estudo desenvolvido no mestrado profissional em Controle de Doenças e Pragas dos Citros - MasterCitrus do Fundecitrus realizado pelo engenheiro agrônomo Luis Fernando Ulian, mostrou que as 
populações de psilídeo capturadas nos talhões de borda foram, em média, 6,4 vezes superiores às dos 
talhões do interior da fazenda. Baseados nesses resultados a implantação de uma borda adensada e que 
receba mais pulverizações se tornou um dos dez mandamentos para controlar o HLB.

“A região da borda tem que servir com uma barreira à entrada de psilídeo no interior da propriedade por 
meio de um controle intensivo. Por isso deve ser plantada em sentido perpendicular às linhas do talhão, 
mais adensada para que a retirada de plantas doentes não abra grandes buracos e mantida sempre com o replantio das plantas eliminadas”, explica Bassanezi.

Outra vantagem em fazer o plantio diferenciado da borda da fazenda é a facilitação de um controle de 
psilídeo mais intenso na área em que ele está mais presente. Nas próximas semanas serão relatados no 
site do Fundecitrus casos de citricultores que estão adotando o manejo de borda e tendo resultados 
satisfatórios.